Growth Hacking: o que ele tem a ver com meu Marketing?

Growth, em português, significa crescimento. Já o segundo termo carrega um significado um pouco mais abrangente e, muitas vezes, negativo. Hackers, no imaginário popular da internet, são aqueles que criam vírus, invadem computadores, alcançam dados e informações sigilosas de forma ilegal. Essa visão é limitada e preconceituosa: a palavra hacking não tem necessariamente a ver com criminosos ou nenhuma atividade ilegal.

O que faz um Growth hacker?

Hacking, em palavras simples, é o ato de burlar um protocolo, encontrar um atalho, um caminho mais prático e benéfico para um objetivo almejado.

Está ligado mais a mentes geniosas e criativas do que às que procuram a ilegalidade. O hacker é um decifrador e trabalha diretamente com o Big Data — nome dado a um grande volume de dados armazenados e disponíveis em um determinado espaço ou situação.

Esses profissionais encontram novas formas de leitura e visualização para essas informações.

Eles podem trabalhar com a segurança online de empresas, ou analisar dados sobre determinados mercados e indústrias, criar softwares livres e gratuitos; podem ajudar governos a compreender uma grande conjuntura de dados demográficos, financeiros e de bancos de informação internos, entre outras possibilidades.

Os hackers modernos são, de fato, os profissionais que querem tornar negócios, mercados e organizações mais inteligentes, capazes e funcionais.

Não há, dessa forma, necessidade de ter medo dos termos hacker ou hacking. Trata-se apenas de um tipo de trabalho que usa da criatividade para encontrar soluções e novos caminhos, visando sempre o objetivo estabelecido.

E entre os hackers que buscam falhas em sistemas, criam criptografias, aumentam a segurança de um sistema, desenvolvem ferramentas e ajudam instituições privadas e públicas, há os hackers do marketing — especificamente os growth hackers.

O growth hacking são práticas que colocam um objetivo acima de tudo: encontrar novas formas de atrair mais usuários à marca, impulsionando as conversões e mobilizando o crescimento da comunidade em torno da sua empresa. É um acréscimo à sua estratégia de marketing digital e opera em harmonia e concordância com outras “frentes” digitais — o hacking de crescimento é que dará o “combustível” extra ao seu funil de vendas, à sua produção de conteúdo, à nutrição de leads, à conversão, ao SEO, ao engajamento em redes sociais, à sua comunidade de defensores de marca etc. Essa nova força será movida principalmente pela simplificação e automação de processos e tarefas do seu marketing.

Mas como podemos visualizar a figura do growth hacker?

Growth hacker é um analista

Não é preciso ser um programador ou conhecer códigos complexos e ferramentas avançadas, como um hacker de computação normalmente precisa. Assim, não pense que você terá que entrar em cursos de programação e TI — ainda não será necessário.

No entanto, existe um tipo de conhecimento muito comum aos profissionais de marketing e que é vital para o trabalho dos growth hackers: as métricas.

Ter alguma familiaridade com os principais softwares e ferramentas de análises do seu marketing já é um ótimo primeiro passo para o growth hacking. Afinal de contas, esta é uma verdade para os estrategistas de qualquer empresa: quanto mais dados que demonstrem a realidade sobre seu negócio, melhor.

Portanto, para ser um growth hacker, é preciso antes de tudo ser um analista, e você, que já trabalha com o marketing, conhece bem a importância de interpretar bem as estatísticas e as métricas.

Growth hacker é um rebelde

O hacking de crescimento não está interessado em seguir o padrão ou fazer a melhor versão possível do que os concorrentes estão fazendo. Em outras palavras, o growth hacker é o rebelde que não segue o senso comum e, em vez disso, quer encontrar novos atalhos para dialogar com o público e aumentar o alcance da marca, ficando à frente da concorrência por inovação e diferenciação.

O que está em jogo aqui são principalmente pequenas e médias mudanças, as diferentes atitudes e os acréscimos na sua estratégia de marketing que podem impulsionar o alcance e as conversões da sua empresa.

São os “hacks”, ou seja, as fugas do protocolo, as pequenas “rebeldias” que poucos ousaram cometer que irão permitir que sua marca cresça em escalas.

Growth hacker é um coach

Vamos pensar nas grandes competições do esporte. O maior objetivo é ter a melhor performance e vencer, certo?

Os treinadores são responsáveis por fornecer bons exercícios para o talento de cada atleta, para que todos façam o seu melhor.

Mas, além disso, eles também são responsáveis por inserir elementos para que os atletas tenham o melhor desempenho possível e superem seus adversários – isto tudo, é claro, dentro das normas do esporte.

No nado sincronizado profissional, um esporte no qual o visual faz parte da avaliação, as mulheres atletas de diversos países usam gelatina incolor para que os cabelos permaneçam fixados na água. Já em outros esportes, roupas e apetrechos foram modificados para a melhora dos resultados — no atletismo, novos calçados e roupas proporcionaram menos peso e atrito com a pista, enquanto no salto à vara uma mudança no material da vara possibilitou que o salto fosse mais flexível e os saltos, maiores.

Em geral, mudanças em equipamentos e acessórios, como também na dieta e no físico dos atletas, podem ser considerados os “hacks” do esporte, que ajudam os times a se superar cada vez mais e vencer.

Da mesma forma, o growth hacking vai ser o treinador do seu marketing e apontar maneiras de complementar e transformar sua estratégia completamente.

Um dos exemplos mais comuns para demonstrar o impacto do hacking de crescimento nas empresas que o adotam é o do gráfico linear: a sua empresa tende, organicamente, a crescer em uma linha reta; com cada medida adotada pelo growth hacking, essa linha sobe, fazendo com que todo o gráfico pareça uma escada. Ou seja, a cada mudança adotada, a cada “hack”, a sua empresa terá uma propulsão, um impulso extra no alcance, no crescimento e nas métricas.

O growth hacking, acima de tudo, é uma prática bem mais simples do que normalmente se supõe; é uma forma de organizar o trabalho, melhorar o desempenho e manter o foco de todos os membros do seu time para atingir algo, de fato, eficaz.

Portanto, largue toda a resistência que você possa ter com essa forma de trabalho. Qualquer profissional do seu marketing pode se tornar, aos poucos, um growth hacker — ou, ao menos, adotar práticas do hacking de crescimento — sem precisar ter conhecimento em programação.

Afinal, o maior ensinamento que podemos tirar do growth hacking não tem nada a ver com códigos ou fórmulas matemáticas: basta pensar fora do protocolo. O maior motivo para que determinadas empresas ou estratégias de marketing emperrem, fiquem presos na inércia, é a falta de inovação, de capacidade de encontrar novos caminhos e promover novos diagnósticos.

O growth hacking, além de ensinar os melhores atalhos, também fortalece a capacidade do seu marketing de sobreviver ao tempo, de se atualizar e aderir a diferentes mudanças.

Afinal, um profissional de marketing vencedor é aquele que sabe crescer.

Se você gostou, deixe seu comentário e leia também: Pinterest para o seu negócio

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *